A arte de servir um vinho

Você começa a degustar um bom vinho muito antes do primeiro gole. Os cuidados ao armazenar, refrigerar e a arte de servir de maneira correta fazem parte integrante de todo o ritual. Por isso, confira cinco passos para tornar sua experiência mais rica e mais elegante!

  1. Armazenamento

Antes de qualquer coisa, você deve prestar atenção se o vinho é de guarda ou para consumo imediato (leia mais sobre as diferenças entre eles em Guardar vinhos: por quanto tempo?). Na grande maioria dos casos, os vinhos do dia a dia são para consumo rápido, devem ser armazenados em adegas, não necessariamente climatizadas, ou mesmo em armários longe da luz solar e do calor, por, no máximo, até 3 anos. Em relação aos vinhos de guarda, a regra é guardá-los em adegas climatizadas, em temperaturas que idealmente não devem variar muito de 13C. Vinhos definitivamente não combinam com calor. Em qualquer caso, guarde suas garrafas deitadas, longe da luz do sol. Está levando algumas garrafas para degustar na casa de um amigo ou no restaurante? Evite chacoalhar durante o transporte, alguns especialistas juram que vibrações fazem mal para o vinho. De todo modo, ao chegar, é bom deixar a garrafa quieta de pé por alguns minutos, sobretudo se o vinho for muito velho, assim os sedimentos voltam para o fundo.  

  1. Refrigeração

Os brancos, os rosés e os espumantes, em geral devem ser servidos em temperaturas mais baixas do que os tintos, por exemplo. O bom senso avisa: vinho não é cerveja. Como regra bem geral, se a temperatura ideal das adegas gira em torno dos 13 graus, você não erra muito ao servir um vinho branco ou rosé a 18C. Já um espumante pode ser servido mais gelado, algo em torno de 10 ou 11 graus. E os tintos a 20 graus, nunca à temperatura ambiente, como alguns insistem. Ainda mais se você for servir num dia de verão brasileiro! Um truque certeiro é colocar a garrafa do vinho durante uma hora sob refrigeração antes de serví-lo.

  1. Servir à mesa

Muita gente afirma que você deve abrir o vinho muito antes de servir para que ele possa respirar e “abrir’. A questão é controversa, mas, de modo geral, e desde que o vinho não seja muito velho, vale a pena deixar a garrafa aberta por alguns minutos antes de servir. Para vinhos mais densos e velhos, o ideal é usar um decanter, para ocorrer a explosão de sabores, aromas e sensações.

  1. Taça ideal

Hoje no mercado existem inúmeros formatos de taças, uma para cada tipo de bebida. Mas você pode servir seu vinho em uma taça “básica”, de bojo largo, boca não muito larga, e haste comprida para que você consiga segurá-la sem encostar a mão no bojo. Além disso, a taça deve ser transparente, nunca colorida e precisa estar perfeitamente limpa. Certamente você não fará feio com ela!

  1. Cuidado ao encher o copo

Segure a garrafa com uma das mãos e sirva o vinho devagar. Não deixe a garrafa tocar na borda da taça, o que poderia até fazê-la quebrar se for de cristal e, sobretudo, nunca encha até a borda. O líquido deve cobrir o fundo do bojo e chegar apenas até a parte mais larga da taça. Isso permite que você possa revirar o copo sem sustos nem riscos para apreciar a cor e os aromas que se desprendem.

Depois de tudo, não esqueça do mais importante: um brinde!

Que tal treinar um pouco com os vinhos da adega da RBG Vinhos? 

Sobre RBG Vinhos

A RBG Vinhos foi fundada em 1998, em São Paulo. Sua vocação: procurar continuamente oportunidades no mundo do vinho, buscando sempre aliar qualidade e bons preços. Seus clientes recebem semanalmente uma newsletter com as melhores sugestões e promoções. Se também quiser receber as recomendações de Ricardo Bohn Gonçalves, cadastre seu email ao lado.
RECEBA NOSSA NEWSLETTER


Se beber, não dirija. Aprecie com moderação.
A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.

+55 11 3676-1781
rbgvinhos@rbgvinhos.com.br