Chez moi: ideias para criar um clima de bistrô na sua casa

Chuvinha, frio, pandemia lá fora. Melhor ficar em casa. Se, além de tudo, você também está assistindo Emily em Paris, que tal aproveitar e criar um clima de bistrô na sua casa? Dá uma olhada nas ideias que tivemos para seu momento comme à Paris

Crie um cenário 
Não dá para ter certeza da etimologia da palavra, é daquelas que em algum momento começam a fazer parte do jeito de falar das pessoas. O fato é que bistrô é o nome que se dá aos pequenos cafés na França, que servem bebidas e alguns pratos que se tornaram tão típicos que a expressão bistronomie surgiu para nomear essa cozinha que é tão sofisticada quanto simples, feita com os produtos da estação e a preços muito diferentes daqueles praticados nos bons restaurantes franceses. É essa a proposta do chef Yves Candeborde e se você for conhecer o seu Le Comptoir du Relais vai se encantar com essa junção de comida de autor de altíssima qualidade com jeitão descomplicado de bistrô. Com direito a mesinhas na calçada enfeitadas com toalhas vichy (aquelas de quadradinhos pequenos), luz de velas, quadro-negro com os pratos do dia. Tudo descomplicado e acolhedor. Portanto, no bistrô da sua casa, abuse das velas, arranje uma toalha xadrez de duas cores e pendure na parede um quadro-negro anunciando o menu do dia. Uma sugestão super interessante é complementar as velas com luzinhas de natal. O efeito é quase mágico! Ok, temos luz. O que mais falta?  

Apesar da proposta descomplicada dos bistrôs, os franceses levam os encontros em volta da mesa, almoço ou jantar, muito a sério. Tanto que a refeição francesa está na lista dos Patrimônios Culturais Não Materiais da Humanidade, da Unesco. E isso envolve não apenas a sequência de pratos que começa por um apéritif e termina com um digestif mas toda uma celebração da arte do “comer bem” e comer junto. Então pense que a família ou um ou dois amigos favoritos (cuidado para manter o distanciamento, OK?) podem também ajudar a preparar o repas (refeição). Faz parte do encontro falar sobre o assunto favorito: comida, onde encontrar os melhores ingredientes e os mais frescos, modos alternativos de preparo e de servir. Mesmo simples, beber em copos e não em taças é impensável, portanto tire suas taças do armário. As de vinhos e as de água, que os franceses não imaginam uma refeição sem água para acompanhar. Ah, e se alguém pedir refrigerante você tem todo direito de repensar a amizade. Guardanapos são essenciais, brancos. Nada de papel (só por hoje, vá?)!  

Um buquezinho de flor na mesa e na bancada dão o toque final. O charme é parecer que você acabou de colher um matinho florido no jardim, entrou em casa correndo e colocou na primeira garrafa ou taça que encontrou. Pense nas suas taças de champanhe, por exemplo. Cestinhas para pães e outras comidinhas que podem ser servidas como aperitivos também ajudam a enfeitar sua mesa à moda de bistrô! 

Le Menu 
Na França o que a gente chama aqui de menu é la carte, ou seja, a lista de todos os pratos do bistrô ou do restaurante. Um menu é uma proposta do chef. No caso dos apaixonados por bistronomie, a proposta envolve a ideia de utilizar os ingredientes mais frescos, sazonais. O menu du jour. Claro, o repas francês protegido pela UNESCO é uma refeição longa, que, eventualmente não cabe no dia a dia. "Um jantar tipicamente francês, por exemplo, tem mais ou menos oito etapas, que vão desde os aperitivos até a hora do café", diz o chef de cozinha Ricardo Gerevini. "Mas é claro que, mesmo os franceses fazem adaptações: você pode escolher uma entrada, um prato principal e uma sobremesa!” O chef montou nosso menu pensando na praticidade e também nesta época de friozinho. Como entrada, uma sopa de cebola com queijo gruyère, como prato principal não tenha medo de servir um croque monsieur (uma espécie de misto quente no forno onipresente nos cafés e nos bistrôs da França) e, como sobremesa, um petit gâteau acompanhado de sorvete de creme. 

(veja as receitas no final do texto)

A dica do chef é nem tentar fazer tudo sozinho: "Quase ninguém sabe cozinhar doces e salgados com a mesma destreza, então não fique constrangido se tiver que pedir um delivery de sobremesa. Os franceses, aliás, valorizam tanto a arte da patisserie que não se acanham de comprar suas sobremesas de alguém que domina realmente a arte. Não há problema nenhum em deixar para quem sabe!"  

Prepare sua playlist 
Playlist de bistrô pode ser qualquer música favorita, mas ouvir aquelas canções clássicas acompanhadas pelo acordeon (a sanfona francesa) não há dúvida que ajuda a entrar no clima. Inclua na sua playlist faixas famosas que a gente não cansa de ouvir, como Ne Me Quitte Pas, de Jacques Brel e La Vie En Rose, de Édith Piaf, algumas mais modernas como Quelqu'un M'a Dit, da Carla Bruni e L'Hôtel Particulier, da Charlotte Gainsbourg. Inspire-se nessas duas playlists disponíveis no Spotify:  

Playlist 1  

Playlist 2 

Carta de vinhos e harmonização
E agora chegamos aos vinhos! Vale notar que o melhor vinho do mundo é aquele que você gosta, então nenhuma seleção é regra, apenas uma sugestão. 

Antes de escolher, é bom lembrar que vinhos de bistrô são típicos vinhos BBs: bons e baratos. Vinhos fáceis para beber com amigos! Recordam da nossa linha Le Ja Ja de Jau? Pois é, Jaja é o nome que os franceses usam para vinhos fáceis, de beber a qualquer hora! Por isso, pense em vinhos como estes para acompanhar seu jantar francês, começando pelo aperitivo! 

Tanto a sopa de cebola quanto o croque monsieur vão bem com vinhos mais leves, como os Beaujolais, jovens e frutados, a exemplo do Stéphane Aviron Morgon Côte Du Py Vieilles Vignes, um vinho 100% Gamay, a uva típica da região. Os Côtes du Rhône, tradicionalmente blends de Syrah, Grenache e Mourvedre, também têm o espírito bistrô: vinhos frutados, de corpo médio. De modo geral, uma ideia pode ser harmonizar comidinhas de bistrô com Pinot Noir, se estiver buscando leveza, e Syrah, caso prefira um vinho com mais tanino e mais encorpado. No limite, um “pequeno” Bordeaux, mais seco, embora de corpo médio, como o Château Andriet também cabe no seu jantar. 

Na hora do petit gatêau da sobremesa, no entanto, quebre a regra: sirva um cálice de vinho do Porto!  

Confira mais outros rótulos franceses na nossa adega

 

Leia também: 
Minúsculo Dicionário de Palavras Fundamentais do Mundo do Vinho 

Dicas para servir um vinho com a elegância de um profissional 

A arte de servir o vinho 

7 detalhes que podem ser úteis quando você for comprar sua próxima garrafa de vinho 

Da esquerda para a direita? 

A arte da harmonização 

 

Receitinhas básicas 

Sopa de cebola 

Ingredientes: 

  • 6 cebolas fatiadas 
  • 2 batatas pré-cozidas picadas 
  • 1 dente de alho 
  • 1 colher de farinha de trigo 
  • 1/2 caixinha de leite sem soro 
  • 2 colheres de sopa de manteiga 
  • 800ml  de água fervente 
  • Sal e pimenta do reino a gosto 
  • Queijo gruyère ralado 

Corte algumas cebolas em tirinhas e, em um recipiente, coloque água, duas batatas picadas já pré-cozidas, manteiga, sal e pimenta do reino. Deixe ferver tudo até que vire um creme, por fim, coloque creme de leite, um pouquinho de farinha de trigo para engrossar e salpique queijo gruyère por cima! Pode levar ao forno para gratinar se você gostar da ideia. Outra alternativa para deixar a sopa ainda mais substanciosa é colocar uma fatia de pain de campagne (ou qualquer pão rústico e com miolo consistente, como os pães italianos) no fundo do prato ou da cumbuca e jogar a sopa por cima. 

Croque monsieur 

Ingredientes: 

  • Molho bechamel (uma colher de sopa de manteiga, 250ml leite, 2 colheres de sopa de farinha de trigo, queijo, sal e pimenta à gosto) 
  • Presunto fatiado 
  • Queijo gruyère ralado ou fatiado 
  • Pão de forma 

A base do croque monsieur é o molho bechamel, que vai queijo, leite e manteiga, basicamente. Numa assadeira, faça um forro de pães de forma e cubra com uma camada de creme, presunto e queijo. Repita as camadas até a superfície e cubra com mais bechamel e queijo. Coloque a assadeira no forno por alguns minutos e coma seu croque monsieur como se fosse uma torta, bem quentinha e com o queijo derretido! 

Petit gâteau 

Ingredientes: 

  • 100 g de chocolate meio amargo em pó 
  • 100 g de manteiga 
  • 2 ovos 
  • 2 gemas 
  • 50 g de açúcar 
  • 30 g de farinha 

Se quiser se arriscar na sobremesa, o petit gâteau não é das mais complicadas receitas. Basicamente, você deve misturar os ingredientes secos primeiro e depois adicionar os outros, mexendo bem, até ter uma massa homogênea. A ideia é um bolinho de chocolate mais delicado, mas que é assado por menos tempo (para ficar molinho por dentro) e servido diretamente do forno (ele fica cerca de 10 minutos a 180 graus) para à mesa, acompanhado por uma bola de sorvete de creme. 

Sobre RBG Vinhos

A RBG Vinhos foi fundada em 1998, em São Paulo. Sua vocação: procurar continuamente oportunidades no mundo do vinho, buscando sempre aliar qualidade e bons preços. Seus clientes recebem semanalmente uma newsletter com as melhores sugestões e promoções. Se também quiser receber as recomendações de Ricardo Bohn Gonçalves, cadastre seu email ao lado.
RECEBA NOSSA NEWSLETTER


Se beber, não dirija. Aprecie com moderação.
A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.

+55 11 3676-1781
+55 11 94116-4445
rbgvinhos@rbgvinhos.com.br